sexta-feira, 7 de dezembro de 2012

Muita, muita, muita saudade!!!


Quando o navio finalmente alcançar a terra
E o mastro da nossa bandeira se enterrar no chão
Eu vou poder pegar em sua mão
Falar de coisas que eu não disse ainda não

Coisas do coração!
Coisas do coração!

Quando a gente se tornar rima perfeita
E assim virarmos de repente uma palavra só
Igual a um nó que nunca se desfaz
Famintos um do outro como canibais

Paixão e nada mais!
Paixão e nada mais!

Somos a resposta exata do que a gente perguntou
Entregues num abraço que sufoca o próprio amor
Cada um de nós é o resultado da união
De duas mãos coladas numa mesma oração!

Coisas do coração!
Coisas do coração!

sexta-feira, 30 de novembro de 2012

TGIF!

Chegou mais uma sexta, a última de novembro (gente, como passou rápido o ano)!!!!

Com ela vamos trazer os highlights da semana, como essa semana nos focamos em beleza e voltar a forma, vamos concentrar nessa parte necessária deliciosa da vida!

Melhor look: Calça menta num corpo magro.


Melhor makeup: A que quero usar hoje!





Melhor (o mais indicado) fim de tarde:



Melhor motivação:

O melhor mês do ano chegou! 





Excelente sexta e ótimo fim de semana!


quinta-feira, 22 de novembro de 2012

Falta um Mês!!!

Daqui um mês estarei com 29 anos e de férias!!! E como diria Courtne Taylor do Dandy Warhols "And I feel wahoo, wahoo, wahoo!"

PS: Isso se o mundo não acabar no dia anterior, claro!



"O tempo

A vida é o dever que nós trouxemos para fazer em casa. 
Quando se vê, já são seis horas! 
Quando de vê, já é sexta-feira! 
Quando se vê, já é natal... 
Quando se vê, já terminou o ano... 
Quando se vê perdemos o amor da nossa vida. 
Quando se vê passaram 50 anos! 
Agora é tarde demais para ser reprovado... 
Se me fosse dado um dia, outra oportunidade, eu nem olhava o relógio. 
Seguiria sempre em frente e iria jogando pelo caminho a casca dourada e inútil das horas... 
Seguraria o amor que está a minha frente e diria que eu o amo... 
E tem mais: não deixe de fazer algo de que gosta devido à falta de tempo. 
Não deixe de ter pessoas ao seu lado por puro medo de ser feliz. 
A única falta que terá será a desse tempo que, infelizmente, nunca mais voltará."
 Mário Quintana

quarta-feira, 14 de novembro de 2012

Vantagens do Otimismo

Além da possibilidade de conseguir melhores resultados, o otimismo atua diretamente no bem-estar das pessoas. O dr. Isaac Efraim, que é médico, psiquiatra e consultor organizacional, explica quais são os benefícios: "Uma pessoa que tem uma expectativa positiva sente-se bem, relaxada, tranqüila e confiante, não tem o sentimento de medo ou temor. Nada pode ser mais confortável e gerar bem-estar em um indivíduo". 

Esses sentimentos levam a uma postura autoconfiante diante dos desafios. Para a consultora Gisela Kassoy, especialista em Criatividade e Inovação, os otimistas são bem-humorados e dificilmente perdem tempo explicando por que algo não deu certo, não culpam os outros ou as circunstâncias pelas dificuldades encontradas. "Se acreditam que uma tarefa será fácil, colocam a mão na massa. Se acham que a tarefa será difícil, criam alternativas, procuram ajuda ou pensam em formas de contornar as dificuldades", diz. 

Por isso, as pessoas otimistas são mais agradáveis e costumam estar rodeadas de gente semelhante, gerando um círculo virtuoso. Tanto pessoal quanto profissionalmente, o otimista evolui e aprende com mais facilidade, o que é fundamental para qualquer carreira. 
Pessimismo x Otimismo

A autora do livro Desmistificando a Lei de Murphy conta que precisou de muita força para ser mais otimista. Suzanne C. Segerstrom explica como fez isso em 12 passos, confira quais foram e tente utilizá-los em sua vida: 

1. Acreditei que havia coisas boas reservadas para mim no futuro. 
2. Trabalhei para fazer com que o futuro se concretizasse. 
3. Quando me deparei com obstáculos, analisei-os cuidadosamente e trabalhei para eliminá-los. 
4. Livrei-me da adaptação hedônica, tentando sempre ter novos objetivos nos quais pudesse trabalhar. 
5. Concentrei-me em objetivos capazes de construir recursos básicos, sociais, de status e existenciais. 
6. Dei prioridade aos objetivos que eram importantes para mim. 
7. Acreditei no melhor dos outros e usei isso como fonte de inspiração. 
8. Gastei recursos básicos para alcançar meus objetivos, evitando não economizar tempo e energia nem gastá-los desnecessariamente. 
9. Estruturei meu dia para tirar o melhor proveito possível de meus objetivos e recursos. 
10. Dormi e me alimentei bem para recarregar meus recursos e energia. 
11. Aceitei que o otimismo não é a resposta para tudo. 
12. Mantive-me distante da roleta-russa. 

Para saber mais: 

Livro: Desmistificando a Lei de Murphy
Autora: Suzanne C. Segerstrom
Editora: BestSeller

sexta-feira, 5 de outubro de 2012

TGIF: you give me light so tonight take me there!!!

"I want your love
I need your touch for the rest of our time together baby
Baby come fly with me eternally
you and me we were meant to be
Yeah hey, alright (right now)
we'll spend the night together
wake up and live forever!"
A baladeeenha...
20121005-300x300px
A Banda..
O modelito (short floral)

quarta-feira, 3 de outubro de 2012

A auto-estima é derivado do equilíbrio das três identidades fortes que mantemos: ID, EGO e SUPEREGO.




ID, primeiro estágio relativo ao bebê, deriva da necessidade de satisfação rápida, nenhuma percepção do meio externo: a birra. Mobilizar as forças, sofrer e desgastar-se para adquirir o vital (o ID leva tudo no sem isso eu morro). 

Depois do ID, quando a criança percebe que existe o meio externo à ela, que alguns comportamentos não são bem vindos, ela começa a moldar as vontades e controlar os impulsos.

O ID trabalha a pulsão de vida e morte, é narcisista. O ID ignora a realidade, quer desconhecer a frustração, alimenta-se do prazer imediato. Força básica - energia da vida.
Então o Ego: este estágio monitor do externo ajusta o organismo, gerencia os conflitos, cria referenciais internos para a identificação. O ponto de equilíbrio, o crescimento da consciência em função do meio. O bebe quer agradar a família, espera o carinho, então, controla suas "necessidades" percebendo que não precisa agir assim, pois tudo tem seu tempo. O executivo da personalidade, forjado pela seqüência de frustrações. Quanto mais fortalecido, melhor lida com elas.

A Evolução = aprovação social de comportamentos desejados x condenados
O superego, por sua vez, é a internalização dos valores morais da sociedade, introjeção das regras à personalidade.

Um dá base para o outro. Em casos nada incomuns das nossas percepções, o ID e o Superego agem juntos, dando vazão a pretextos de causa defensível. Encontrar um fundamento ético como base do comportamento ID.

Sem este conhecimento apenas julgamos as pessoas por suas atitudes, sem enxergar a rede de sensações e pensamentos que norteiam o comportamento.

Sabe por que é importante voltarmos à didática do comportamento porque senão, o pensamento é regido pelas emoções que estão em conflito. E, como toda emoção tem uma grande resposta nervosa, tendemos a confiar nos estímulos hormonais como verdade e esquece que a razão é o equilíbrio (como na matemática, a razão de dois termos).

Bom, mas sobre o amor, importante saber que todos nós, depois que crescemos, perdemos a fonte principal (Mãe ou alguém que nos dispensa toda a atenção e é a fonte sumária de carinho) e caímos no chamado Drama de Controle.
Sobre os dramas em alguns casos, a nossa maneira de controlar pessoas e situações para trazer energia para si, é criar na cabeça um drama para se isolar, por exemplo. Diz a si mesmo que está sendo cauteloso, mas espera na verdade é que alguém se atraia por isso e tente imaginar o que se passa com você.
Se conseguir, você se mantém vago, obrigando a pessoa a lutar e cavar para discernir seus verdadeiros sentimentos. Assim, ela dedica toda a energia (que é igual à atenção, o espaço que você precisa para saciar a falta de carinho, resquícios de infância). Quanto mais interessada e confusa ela fica, mais energia 
você recebe.
Infelizmente, este distanciamento faz sua vida fluir devagar, pois repete a mesma cena várias vezes. Sempre que a gente se abre, o filme da nossa vida parte numa nova e significativa direção.
As reações dessa consciência do próprio drama de controle, às vezes geram uma sensação de depressão, porque desmascaramos o personagem que reluta a dar informações, tende a ocultar o que pensa.

O primeiro passo é trazer o drama de controle a plena consciência. Nada pode prosseguir sem descobrirmos o que estamos fazendo para manipular a busca por energia. É importante, pra isso, voltar para o próprio passado, ao centro da vida familiar inicial e observar como se formou esse hábito. A maior parte dos membros de nossa família tinha o drama próprio, tentando extrair energia de nós quando criança. Foi por isso que desenvolvemos nossos próprios dramas, como estratégia para recuperar a energia.

Contudo, quando identificamos as dinâmicas de energias familiares, podemos nos distanciar dessas estratégias de controle e ver o que realmente está acontecendo.
Cada um tem de interpretar a experiência familiar de um ponto de vista evolutivo, espiritual, e descobrir quem é ela própria na realidade.
Assim os dramas desaparecem e nossas vidas reais decolam, porque n mais repetimos ações, e sim, criamos formas interativas com os momentos e pessoas com um caráter mais dinâmico, colhendo as informações que aquele "conflito" tem para nos trazer.

Caracterize seu pai e sua mãe em adjetivos. Depois, identifique a forma como se relacionavam.

No caso do Drama de Distanciamento (o que retratei até agora), as bases costumam vir das críticas, o fato de encontrar o erro e apontar, torna a criança esvaziada e evitando dizer qualquer coisa. Aprende a dizer coisas vagas e distantes para responder sem dar motivos para criticar. O pai é o interrogador e o filho se torna o distante.
O Interrogador é o drama onde as pessoas fazem perguntas e sondam o mundo de outra pessoa com o propósito específico de descobrir alguma coisa errada.
Assim que fazem isso, criam este aspecto da vida da outra pessoa. Se a estratégia der certo o criticado é atraído para o drama, percebe-se intimidado, prestando atenção ao que ele faz e pensando nisso, para não fazer nada errado que o interrogador você é colhido nesse drama, não tende a agir de um certo modo, para que a pessoa não critique?
Ela nos tira de nosso caminho, altera nossos valores, cria o conflito de nos julgarmos pelo que ela está pensando.

Todos manipulam em busca de energia, ou de maneira agressiva, direta, forçando as pessoas a prestar atenção neles, ou de uma forma passiva, jogando com a simpatia ou curiosidade.
ex: se alguém te ameaça, verbal ou fisicamente, você é obrigado, por medo de que alguma coisa ruim lhe aconteça, a prestar atenção nele, por tanto a transmitir energia pra ele: é o drama do intimidador.
Se, por outro lado, alguém te conta todas as coisas horríveis que já aconteceram com ele, insinuando que talvez você tenha sido o responsável, e que se recusar a ajuda-lo essas coisas horríveis vão continuar, esta pessoa está buscando controla-lo no nível mais passivo - o coitadinho de mim.
Tudo o que eles fazem e dizem deixam você numa posição em que tem de se defender contra a idéia d não estar fazendo o bastante por essa pessoa.
O drama de qualquer um pode ser examinado de acordo com o lugar que ele ocupa nesse espectro que vai do agressivo ao passivo. Se for sutil em sua agressão, encontrando defeitos e solapando lentamente nosso mundo para extrair nossa energia, essa pessoa é o interrogador. Menos passivo que o coitadinho de mim seria o drama de distanciamento.
A ordem dos dramas segue assim: intimidador, interrogador, distante e coitadinho de mim. Todo mundo de encaixa em algum ponto desses estilos, ou em mais de um, ou mesmo em todos. Mas a maioria tem um drama de controle dominante, que tentamos repetir, dependendo de qual funcionava bem com a família inicial.

O Interrogador surge quando os membros da família são ausentes ou te ignoram, por estarem preocupados com suas carreiras ou algo assim. Representar o distante n chamaria a atenção dele. Você teria de recorrer à sondagem e espionagem, para descobrir alguma coisa, no caso do drama, coisas erradas nelas, ou mesmo os gostos a copiar para ganhar atenção.
As pessoas distantes criam os interrogadores e vice-versa. Os intimidadores criam o coitadinho de mim, mas se falhar, criam outro intimidador.

Se alguém consome sua energia ameaçando com danos físicos, então se distanciar não resolve. Você não faz com que lhe dêem energia bancando a sonsa. Eles não dão a mínima para o que se passa dentro de você. Vêm com força total. Portanto,
você é obrigada a se tornar mais passiva e tentar a técnica do coitadinho de mim, apelando para a bondade das pessoas, explorando a culpa delas em relação ao mal que lhe fazem. Se isso não funciona, então como criança, você suporta até crescer o bastante para explodir contra a violência e combater a agressão com agressão.
A pessoa chega ao extremo para conseguir atenção de energia da família. E depois disso, essa estratégia se torna a maneira dominante de controle para extrair energia de todos, o drama que repetirá constantemente, por ser o grau mais alto, na escala.


Lembre-se que há a tendência de ver esses dramas nos outros e ignorar os próprios. Depois que vemos o drama, em seguida estamos livres para nos tornar mais que o número inconsciente que representamos. Podemos encontrar um sentido mais elevado para nossas vidas, uma razão espiritual de termos nascidos em determinada família. Esclarecer quem somos de fato--- necessidade humana da individualidade, a personalidade, identidade própria, manifestada mesmo em Gêmeos de mesma carga genética.
Cada um tem de recuar à própria experiência familiar, ao tempo e lugar da infância e reexaminar o que ocorreu. Assim, tomando consciência do próprio drama, fica possível identificar o "lado bom além do conflito por energia".
No instante em que encontrar essa verdade, ela energiza a nossa vida, pois essa energia diz quem somos, o caminho em que estamos, o que estamos fazendo. A pergunta de porquê nasceu naquela família, qual o propósito disso, vem sempre acompanhada da análise de como era a vida dos seus pais. Ao rever suas histórias, perceberá o sentido que eles transmitiram para você. 
Estes exemplos, sem falar diretamente dos outros aspectos que regiam nossa vida, são os valores que reconheço nitidamente me guiarem nas escolhas que faço.

Ainda falando dos dramas de controle e da forma como lidar positivamente, percebendo as razões pelas quais estamos aprendendo com nossa família é esta: ver o que herdamos de personalidade motivadora.
Os dois sempre querem a sua aliança. Eles agem em dramas de controle com você para se certificarem de que você pensasse que o caminho deles era o melhor. No caso do drama de distanciamento, o filho tende a não tomar partido nenhum para não preterir ninguém.

Você está buscando o sentido de que a vida tem para você, o motivo pelo qual nasceu deles, porque estava ali para aprender. Todo ser humano, quer tenha
consciência disso ou não, ilustra com sua vida a maneira com acha que um ser humano deve viver. Você tem de tentar descobrir o que eles lhe ensinaram e o que na vida deles poderia ter sido melhor. Saber o que você teria mudado na vida da sua mãe faz parte do q você próprio está trabalhando. O que melhoraria na vida de seu pai é a outra parte. Não somos apenas criação física deles. Somos a espiritual também.
A vida deles tem efeito irrevogável sobre quem você é. Para reconhecer seu verdadeiro eu, você tem de admitir que o verdadeiro você começou numa posição entre as verdades deles. Por isso nasceu ali: para adotar uma perspectiva mais alta sobre o que eles defendiam. Seu caminho é descobrir uma verdade que seja uma síntese mais desenvolvida do que essas pessoas acreditavam. 
Depois dessa noção, como você expressaria o que seus pais lhe ensinaram? Que ponto de vista escolheria para si mesma, do seu pai ou mãe?

O que nossos pais não conseguem conciliar, coisa comum nos tempos de hoje, eles deixaram para nós. Por isso as relações terminam. E por isso dão certo. Quando conseguem conciliar o estímulo e atenuam os dramas de controle um do outro, todas as combinações são perfeitas e possíveis, sempre.

Você pode, depois de tudo isso, dormir e acordar com seu velho drama de controle ou acordar amanhã e se apegar a essa nova idéia de quem você é. Se conseguir, pode dar o passo seguinte e analisar de perto todas as outras coisas que lhe aconteceram desde o nascimento.
Se vir sua vida como uma história completa, do nascimento até hoje, será capaz de ver como tem trabalhado nessa preocupação todo este tempo. Será capaz de ver como chegou até aqui e o que deverá fazer em seguida.

Pense como os acontecimentos da sua vida se encaixam. Os temas que você se interessa desde o inicio, o que este interesse a levou finalmente a estudar, porque acha que conheceu determinada pessoa importante em particular? Ela cristalizou seus interesses e a levou a examinar o maior mistério de todos então você compreendeu que o sentido da vida estava ligado ao problema de transcender o nosso condicionamento passado e levar nossas vidas à frente. Por isso que você faz o que faz.

Para que todos que tem distúrbios emocionais (todos temos) evoluam, tem de fazer o que nós temos de fazer: nos ligar em energia suficiente para devassar o intenso drama de controle delas aquilo que chamamos de "representação", e seguir adiante no que revela ser um processo que você vem tentando entender toda a vida.

terça-feira, 2 de outubro de 2012

Mint styling

Eu não sou de ousar muito em peças para a metade de baixo do corpo. Mas em um dia de compras com a minha irmã, me deu a louca de comprar uma calça mint (menta).
Eu tenho o quadril mais largo e as pernas grossas. Então sempre me pergunto se peças menos discretas para as pernas são mesmo para mim. Mas agora que sou proprietária de uma calça tipo skinny da cor menta, decidi que o melhor é fazer bom uso dela.
Como tons pasteis são um must para primavera/verão deste ano. Me joguei!
Para me inspirar e inspirar quem quer que seja leitor esse blog, segue uns look que achei MARA!


Mint e estampas!

 Mint com peplum (outra tendência da estação)!


Dessa acima, chamo atenção do look abaixo, que é tão simples e ao mesmo tempo tão criativo e bonito. 


Enfim, acabei gostando da tal da mint pants....super versátil e se bem usada não engorda não! Principalmente se a modelo for magra...hahaha

Uma terça bem mint! ;-)

segunda-feira, 1 de outubro de 2012

1 Coríntios 13:1-13


Ainda que eu falasse as línguas dos homens e dos anjos, e não tivesse amor, seria como o metal que soa ou como o sino que tine.
E ainda que tivesse o dom de profecia, e conhecesse todos os mistérios e toda a ciência, e ainda que tivesse toda a fé, de maneira tal que transportasse os montes, e não tivesse amor, nada seria.
E ainda que distribuísse toda a minha fortuna para sustento dos pobres, e ainda que entregasse o meu corpo para ser queimado, e não tivesse amor, nada disso me aproveitaria.
O amor é sofredor, é benigno; o amor não é invejoso; o amor não trata com leviandade, não se ensoberbece.
Não se porta com indecência, não busca os seus interesses, não se irrita, não suspeita mal;
Não folga com a injustiça, mas folga com a verdade;
Tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta.
O amor nunca falha; mas havendo profecias, serão aniquiladas; havendo línguas, cessarão; havendo ciência, desaparecerá;
Porque, em parte, conhecemos, e em parte profetizamos;
Mas, quando vier o que é perfeito, então o que o é em parte será aniquilado.
Quando eu era menino, falava como menino, sentia como menino, discorria como menino, mas, logo que cheguei a ser homem, acabei com as coisas de menino.
Porque agora vemos por espelho em enigma, mas então veremos face a face; agora conheço em parte, mas então conhecerei como também sou conhecido.
Agora, pois, permanecem a fé, a esperança e o amor, estes três, mas o maior destes é o amor. 


sexta-feira, 28 de setembro de 2012

It's time to wake up!

"Wake me up when september ends...."
Bom, então tá na hora de acordar.
Com essa bela sexta, fechamos o último dia útil do mês de setembro.
Como passa rápido!

Além disso, começamos uma bela estação, a Primavera. Baseado nela, os favoritos da semana.

- Flores, flores! E uma vontade de decorar:



- Uma tendencia colorida e outra meiga:

- Um pensamento feliz e seu resultado:
"Obrigada pela minha família, meu namorado, minhas amigas e pelas flores da primavera!"



- Um livro, uma gravata e seu sedutor personagem...Christian Grey (ai ai ai!):

- Uma inspiração para os olhos (ou a segunda inspiração para os olhos deste post):


Feliz sexta-feira e que venha outubro! :-)

quinta-feira, 27 de setembro de 2012

"O inferno são os outros"- Sartre, sempre cheio de razão!!!

...
Há um texto excelente da Martha Medeiros (http://sergyovitro.blogspot.com.br/2012/01/martha-medeiros-nao-canse-quem-te-quer.html) intitulado "Não canse quem te quer bem". Plageio ela aqui pra fazer o meu humilde apelo: "Não canse NINGUEM!" (Mudança sugerida por Cecilia - há quase 10 anos me tornando uma pessoa menos amarga... rs)




sexta-feira, 21 de setembro de 2012

TGIF!!!!

Viva hoje é sexta!

Como sempre esperamos o fim de semana como uma grávida de 9 meses espera pelo filho.

Depois de uma semana de (volta ao) muito trabalho, merecemos o nosso queridinho fim de semana.

Como estamos as duas abandonadas pelos amores, a solução é se entreter.

Segue alguns dos favoritos da semana:

"Acreditar é essecial"


"Who needs man?"


"Saudades das férias"



"Porque rir é o melhor remédio"




Feliz Sexta-feira!!!!

quarta-feira, 19 de setembro de 2012

As good as mine















"Where do we go nobody knows
Don't ever say you're on your way down, when
God gave you style and gave you grace
And put a smile upon your face"
(coldplay - God put a smile upon your face)

quinta-feira, 13 de setembro de 2012

A Identidade

Chantal, uma bela mulher mas não tão jovem, descobre na praia um mundo que não lhe agrada: os homens lhe parecem ridículos, infantilizados, voltados só para os filhos. Sãos todos "papais", desprovidos de qualquer encanto erótico. Fazendo graça, ela diz a si mesma: "Vivo num mundo em que os homens já não se viram para me olhar". Logo depois ela repetirá essa frase a seu companheiro, que, não vendo ali a ironia bem-humorada, será invadido por um sentimento de compaixão pela mulher que ele ama. Jean-Marc sabe que os olhares do companheiro não costumam bastar a uma mulher: a confirmação de um núcleo muito profundo da intimidade feminina parece depender de homens desconhecidos. Pouco a pouco Milan Kundera levará Chantal e Jean-Marc para a fronteira invisível que separa o real e o sonho. Seu conflito inicial se tornará um pesadelo em que o mais assustador será perder a identidade do outro. 

quarta-feira, 12 de setembro de 2012

o Alonso nosso de cada dia...

 

real historia;
string sender;
sender = "Gabriella Bueno";

P.A.: Bem que o Dia do Programador poderia ser feriado…
Programador: No Brasil??? A profissão não é nem reconhecida…
Programadora: Na Rússia o Dia do Programador é feriado… O que vocês acham de nos mudarmos para lá??
Alonso: Ah, tá… Quero ver como você vai fazer pra programar em russo…
Programador, Programadora e P.A.: MULTIPLOFT!

Parabéns para mim!!!

 

segunda-feira, 10 de setembro de 2012

sexta-feira, 31 de agosto de 2012

TGIF: dia de ser feliz!!!

Como hoje acordei animadinha e comi palhacitos no café da manha, postarei uma frase engraçadinha que combina bem com a fase "  totalty in love" que estou vivendo:

"Ninguém jamais vencerá a guerra dos sexos: há muita confraternização entre os inimigos." -Henry Kissinger

Vamos confraternizar!!!


Boa sexta!!!


sexta-feira, 24 de agosto de 2012

quinta-feira, 23 de agosto de 2012

terça-feira, 21 de agosto de 2012

Mantendo-se saudável no ambiente de trabalho

Parte 1:

Escritório, empresa, repartição, departamento, laboratório, consultório, um desses lugares é onde passamos a maior parte do nosso tempo. Por essa razão, é um dos lugares que muito representa na nossa dieta.
Seja o lanche que seu colega traz na sexta-feira, o chocolate que a recepcionista vende, o estresse que te faz exagerar um pouquinho no almoço ou a fome acumulada de um dia com excesso de atividades - o fato é que os hábitos alimentares vividos neste ambiente influenciam (e muito) no resultado final, ou seja, no nosso peso.

Por isso, aqui listo 5 de 10 dicas que nos ajudam a manter a linha também no escritório.


1- Utilize a estrutura do seu local de trabalho a favor da sua dieta. O dia a dia no trabalho é, em geral, muito planejado, você tem prazos delimitados, as reuniões são programadas, as atividades são regulares. Então uma atitude que pode ajudar é organizar também uma agenda de alimentação e segui-la como se esta fosse uma das suas atribuições de trabalho. Separe um tempo para fazer seus lanches entre as refeições e faça de seu almoço um ritual para que qualquer estresse não venha a influenciar nas quantidades.

2- Encontre um aliado para sua perda de peso. É certo que ter alguém te apoiando ajuda a eliminar o sobrepeso, mas ter alguém te apoiando no local de trabalho é ainda mais efetivo, já que é lá que surge os agrados calóricos. Então aproveite e espalhe aos quatro ventos no seu trabalho que você está optando por uma alimentação mais saudável, conte para o seu chefe, conte para todos e não só será mais fácil para você manter-se na dieta, como você ainda pode influenciar outros a seguir essa mudança tão benéfica.

3- Prepare com antecedência suas refeições ou lanchinhos. Todos os dias, embale frutas e lanchinhos saudáveis para o seu trabalho. É bom levar uma variedade ao invés de uma só opção (isso ajuda naquele sentimento de restrição que dietas nos levam a sentir) e um lanchinho extra ajuda muito se você tiver que ficar um pouquinho além do horário normal.

4- Tenha um estoque de emergência. Para os dias em que você esqueceu as frutas em casa, deixe sempre em uma gaveta alguns alimentos não perecíveis saudáveis como barras de cereal (eu tenho um pacote fechado com Club Social integral), assim você não perde o hábito de comer de 3 em 3 horas mesmo quando esqueceu a lancheira em casa.

5- Pratique o assertivo e delicado "Não, obrigada". Em todo lugar de trabalho sempre tem aquela pessoa que traz todas as ameaças para uma dieta. É a recepcionista que faz chocolates deliciosos, aquele seu colega que não cansa em tentar te agradar trazendo um bombom, aquela senhora que leva um bolo que fez no fim de semana, uma amiga que convida para um sorvete depois do almoço, enfim tentações, tentações. Para isso, nada melhor do que exercer a força de vontade, agradecer com toda a sua delicadeza especialmente pelo esforço da pessoa em agradar e seguir em frente. Vale muito a pena depois.

Esta é a parte I das dicas, em breve escrevo o resto.

Muita motivação para nós!!!! E se fizermos tudo direitinho no trabalho, qualquer dia podemos nos vestir assim no dia a dia!
Inspiração!!!!!




terça-feira, 14 de agosto de 2012

Técnicas Psicológicas para Ser Líder de Si Mesmo:

Um ser humano rico procura ouro na sociedade, um ser humano sábio garimpa ouro nos solos do seu ser.

 

Neste capítulo estudaremos ferramentas para resgatarmos a liderança do "eu". Quem deseja tornar-se um ator principal da sua mente, desenvolver sua inteligência e conquistar saúde emocional e intectual precisa prestar muita atenção e praticar as técnicas que comentarei. Elas deveriam ser ensinadas em todos os níveis escolares.

Há duas metas e duas técnicas que alicerçam nossa capacidade de gerenciar os pensamentos e emoções para sermos líderes no palco da mente. Metas: Reeditar a memória; Produzir janelas paralelas da memória.

Técnicas: DCD (duvidar, criticar, determinar); Mesa-redonda do "eu".

 

Reeditar a Memória:

 

Reeditar a memória é um dos processos de transformação da personalidade estudados pela teoria da Inteligência Multifocal. Não podemos deletar a memória, só reeditá-la ou reescrevê-la. Não temos ferramentas para apagar o passado registrado pelo fenômeno RAM, seja bom ou ruim. Só podemos reeditá-lo. O que é reeditar ou reescrever a memória? Não é apagar os arquivos doentes, mas inserir novas experiências nas janelas da memória. É entrar no palco da mente e construir segurança onde existe o medo, lucidez onde existe estupidez, tranqüilidade onde existe ansiedade.

Pedro era um médico prestativo e hábil. Tratava de pacientes com maestria e segurança. Um dia teve um ataque de pânico. O Gatilho da Memória detonou e gerou uma janela "killer". Pedro começou a ter medo de enfartar. O fenômeno do autofluxo alimentou-se dessa janela e produziu inúmeras idéias negativas. O fenômeno RAM registrou-as e expandiu seu medo inicial.

Sua saúde estava ótima, mas a janela "killer" bloqueou seu raciocínio. Os ataques se repetiram. Viveu o cárcere do medo. Parou de trabalhar e ficou deprimido durante muitos anos. Mas saiu do caos. Libertou-se depois que usou a técnicas do DCD para reeditar a memória. Muitas pessoas calmas e seguras se tornam ansiosas e inseguras ao longo dos anos, pois vão acumulando nos bastidores da mente as suas frustrações, perdas e problemas psíquicos e sociais. Sem perceber, vão transformando as janelas saudáveis em doentias, e perdendo o sorriso. Seu prazer de viver vai sendo destruído.

Reeditar o filme do inconsciente (memória) é a primeira meta para quem quer deixar de ser algemado pelos atores coadjuvantes do teatro da mente e pelos traumas, conflitos, angústia, estresse. Alguns perpetuam terapias por anos porque não aprenderam a reeditar a memória. Como reeditá-la?

 

Técnica do DCD:

 

A primeira técnica excelente que tenho usado para estimular o "eu" a sair da platéia, entrar no palco, gerenciar os pensamentos e reeditar a memória é a DCD (duvidar, criticar, determinar).

Essa técnica envolve as três principais perolas da Inteligência Multifocal: a "arte da dúvida" (perola da filosofia), a "arte da crítica" (perola da psicologia) e a "arte da determinação" (perola da área de recursos humanos). Você não imagina a força que temos que fazer para sair da platéia quando usamos essas três artes. Deixamos de serem passivos, conformados e vítimas. Duvide, critique e determine!

Marcos era presidente de uma empresa, mas não presidia sua mente. Reagia como se todas as mulheres o traíssem. Casou-se e fez da sua relação um inferno. Criava idéias de que sua esposa o estava traindo. Torturava-a. Quando ele ameaçou separar-se, ele procurou tratamento. Na terapia, começou a entender que era vítima do passado. Sua mãe havia traído seu pai. Aprendeu a sair da platéia, aplicou o DCD. Duvidou das suas idéias dramáticas e as criticou diariamente. Cada vez que uma idéia dessas surgia, dizia para si: "Essa idéia não tem fundamento"! Não serei mais algemado por ela. Determino ser livre e reconstruir minha história. Conseguiu resgatar a liderança do "eu".

Não seja aprisionado pelos atores coadjuvantes. Duvide de tudo que eles produzem e que faz você ficar deprimido, ansioso, sem auto-estima. Critique seriamente cada pensamento negativo, cada idéia tola que o perturba, cada angústia, humor triste, medo, insegurança. E, por fim, não peça compaixão para os atores coadjuvantes. "Entre no palco" e determine ser alegre, tranqüilo, conquistar o que mais ama, ser líder de si mesmo. As palestras de auto-ajuda pouco ajudam quando as pessoas não compreendem o funcionamento da mente. Não basta só determinar, é preciso antes duvidar e criticar para reeditar a memória. Quando, no silêncio da nossa mente, "duvidamos, criticamos e determinamos" diversas vezes por dia ao longo de meses, construímos uma nova história. Produzimos prazeres, coragem, reflexões que são arquivados pelo fenômeno RAM nos bastidores da mente.

A técnica do DCD não apaga a memória, mas reedita e reescreve o inconsciente. Assim nos tornamos autores da nossa história. Após seis meses de prática dessa técnica, a qualidade de vida dá um salto, e nos tornamos mais alegres, simples, tranqüilos, seguros, autoconfiantes. Mas é possível reeditar todas as janelas da memória?

Não! Sempre ficam algumas janelas doentias na periferia do inconsciente, difíceis de serem reeditadas. Além disso, mês após mês produzimos novas janelas doentias, geradas pelas decepções, perdas, conflitos sociais. Não há gigantes. Sempre recaímos e voltamos para a platéia. Mas qual é a grande diferença de quem atua como ator principal e faz a técnica do DCD? Essa pessoa se torna mais estável e madura: as dores lapidam a sabedoria, as falhas constroem a tolerância, as perdas geram novas conquistas, os fracassos nos tornam mais fortes. Os grandes líderes da história praticaram o DCD intuitivamente. Tenho estudado a mente de grandes líderes da história, como Moisés, Maomé, Confúcio, Buda. Gostaria de destacar alguém que teve plena consciência de que deveríamos deixar de ser espectadores, que treinou seus discípulos constantemente para saírem da platéia e serem líderes. Seu nome é Jesus Cristo. Escrevi sobre ele uma coleção que analisa sua inteligência. Entenda que não estou falando de religião, mas de uma pessoa fascinante, famosíssima, e tão pouco conhecida no teatro da sua mente. Jesus Cristo nunca deixou o palco, extraiu força da fragilidade, alegria da dor, sabedoria das calúnias. Foi feliz na terra de infelizes. Fomos treinados desde a infância a sermos tímidos, frágeis, inseguros, diante das nossas misérias psíquicas. Já notou que quando algum tipo de medo nos abate, em vez de duvidarmos dele, nós o aceitamos passivamente? Já percebeu que agredimos os outros quando estamos estressados e ansiosos, em vez de criticar o estresse e ansiedade?

Quando se abre uma janela da memória doentia e produz emoção com alto volume de tensão, bloqueamos a leitura das janelas saudáveis, travamos a inteligência. Nos focos de tensão ferimos as pessoas e nos punimos. É justamente nos focos de tensão que precisamos fazer o DCD. Se você deseja ser apaixonado pela sua vida, faça-lhe um grande favor: não seja mais tímido e passivo diante dos seus próprios ataques de raiva, irritabilidade, de seus pensamentos negativos. Peça desculpa se errou. Não brigue com os outros, não os culpe, não discuta. Nossa luta real é interior e silenciosa: no anfiteatro da nossa mente. Os monstros que os atores coadjuvantes encenam no palco - seja o medo, a impaciência, a intolerância, as preocupações - são menores do que você imagina. Mas, se não atuarmos, eles se acumularão no inconsciente e poderão destruir nossos sonhos, nossa paz, o prazer e o amor pela vida.


Voltando a pensar magro!

"Assim como não se deve tentar curar olhos sem cabeça, ou cabeça sem corpo, é inútil tratar o corpo sem intelecto" - Socrátes


como emagrecer rapido

"... à medida que os aspectos básicos, que formam a qualidade de vida, são preechidos, podem deslocar seu desejo para aspirações cada vez mais elevadas" - Maslow

sexta-feira, 10 de agosto de 2012

Hoje é sexta!!!

Dia de descanso e/ou diversão!
Dia de namorar, dançar, desligar o despertador, comer bem e ser um pouco mais feliz do que no resto da semana!

Uma música:
 

Um Disco:

 

Um projeto

Violator #2 (De-bee) Tags: blackandwhite selfportrait black girl rose tattoo back feminine topless depechemode violator backless backshot shoulderblades

quinta-feira, 9 de agosto de 2012

Ame e dê vexame!

"Porque eu te amo, tu não precisas de mim.Porque tu me amas, eu não de ti. No amor, jamais nos deixamos nos completar. Somos, um para o outro, deliciosamente desnecessários."
-Roberto Freire


Fim de noite, balcão, amiga.
Feliz pela noite, pela vida, pela paz de espírito. 
Comento que não gosto de homem de cabelo comprido. Então eis que ele surge lindo e loiro no estilo quase tão "vai Gisele" quanto a própria Gisele. Eu não sou de ferro, né?!
Finjo que não noto. Mas noto... e como! Olho de soslaio, espero o momento... será?
Faço a avoada, reclamo do amor... -"Seus problemas acabaram!" 
Depois desse dia acabaram mesmo!
O amor é clichê, piegas e é lindo!!!


quarta-feira, 8 de agosto de 2012

Mario Quintana- Enviado pela Mahl!!!

"Quando depositamos muita confiança ou expectativas em uma pessoa, o risco de se decepcionar é grande. As pessoas não estão neste mundo para satisfazer as nossas expectativas, assim como não estamos aqui, para satisfazer as dela.

Temos que nos bastar... nos bastar sempre e quando procuramos estar com alguém, temos que nos conscientizar de que estamos juntos porque gostamos, porque queremos e nos sentimos bem, nunca por precisar de alguém.

As pessoas não se precisam, elas se completam... não por serem metades, mas por serem inteiras, dispostas a dividir objetivos comuns, alegrias e vida.

Com o tempo, você vai percebendo que para ser feliz com a outra pessoa, você precisa em primeiro lugar, não precisar dela. Percebe também que aquela pessoa que você ama (ou acha que ama) e que não quer nada com você, definitivamente, não é o homem ou a mulher de sua vida.

Você aprende a gostar de você, a cuidar de você, e principalmente a gostar de quem gosta de você. 

O segredo é não cuidar das borboletas e sim cuidar do jardim para que elas venham até você. 

No final das contas, você vai achar não quem você estava procurando, mas quem estava procurando por você!"

“Já enfrentei muitas dificuldades na minha vida. A maioria delas nunca existiu” Mark Twain

"O inimigo não está a nossa frente, mas dentro de nós. Defesas refletem feridas. Ataques são gritos por amor. Relacionamentos são uma oportunidades de saber quem somos" 

quarta-feira, 1 de agosto de 2012

Thank's God for the last Friday!!!


Murder...
It's murder on the dancefloor
But you better not kill the groove
Dj, gonna burn this goddamn house right down

Oh, I know I know I know I know I know I know
About your kind
And so and so and so and so and so and so
I'll have to play

If you think you're getting away
I will prove you wrong
I'll take you all the way
Boy, just come along
Hear me when I say
Hey

segunda-feira, 30 de julho de 2012

Monday, why are you back?




I'm back, so you can realize what real life is like and always, always enjoy your weekend.

terça-feira, 24 de julho de 2012

Gente tóxica: mantenha distância!

- Falta de caráter.
Parece uma obviedade, mas não é. Se a pessoa tem 30 anos e acha normal mamãe pagar as contas (e estamos falando de uma progenitora que não é rica), se tem um amigo com filho por aí e acha que é ok se o cara não paga pensão, se é "metido a esperto", se não tem amigos, ou os raros amigos são tipos estranhos, se não tem o mínimo respeito pelos seus amigos e até pela sua família, o diagnóstico está dado: essa pessoa não tem caráter, ética ou coisa que o valha. Ela pode até dizer que te ama, o que talvez seja verdade, mas não desenvolveu empatia suficiente para se importar com alguém mais do que com a si próprio e, pior, ela provavelmente não é uma boa pessoa. 
Uma sábia amiga me disse uma vez, a única qualidade realmente imprescindível num relacionamento é que o outro seja uma boa pessoa, assim, caso não dê certo você estará triste por esse motivo e não porque perdeu tempo envolvida com um psicopata from hell. Fuja!

- Avareza.
Ok, nem todo mundo nasceu abastado. Eu mesma não nasci, mas é terrível gente avarenta, especialmente a pessoa se importa de gastar o dinheiro dela, mas não o seu. Tem até aqueles que tem a desculpa de "só usar cartão", não tem um real nem pra te dar uma florzinha daquelas que passantes vendem no bar... em relacionamentos, o avarento economiza até no romantismo! É o fim!

- Síndrome de educador.
 A pessoa acha que tem o direito de te julgar e te condenar por tudo que você faz que não a agrade. Tem a profunda convicção que está apta a te "educar". Olha com olhar repreensor e instaura em você um sentimento de culpa insuportável. Na maioria das vezes é um grandessíssimo perdedor que, possivelmente se inspira no exemplo de um pai bronco e machista dos anos 50.... aloooou? Estamos em 2012, baby!
Se sente ameaçado e desconfortável em estar com uma mulher não-suburbana e de ensino superior não-duvidoso e tenta a todo custo expiar suas frustrações em você. É fria!

- Ciumento psicótico.
O forte dessa pessoa é a criatividade! Imagina as traições mais absurdas. Você precisaria ser ninja, além de promiscuo e com razoável mau gosto, pra cometer todas as peripécias que lhe atribuem. Em casos mais graves reclama da sua roupa e até mesmo te cobra atenção, como se você fosse mãe do desinfeliz. Aqui há muitos problemas que possivelmente nem Freud explica! Provavelmente é inseguro e, mais provavelmente ainda, que quem faça todas as peripécias adúlteras seja ele (quem não é passível de confiança não confia, já diz Gikovate). Quanto mais você ceder aos caprichos insanos dele pior ele fica, simplesmente porque o problema não são as suas atitudes, é ele. Se você não o está usando pra um estudo de psicopatias-avançadas em homens-que-não-valem-a-pena, saia fora!

- Arrogante.
Este tipo de pessoa está sempre certa! Nunca estudou estatística na vida e não entende o simples conceito sociológico de que se ninguém gosta de você é mais provável que você seja uma pessoa intragável e não "todo o resto do mundo". Não adianta discutir. Essa pessoa está sempre certa. É perfeita! Você e, novamente, "todo o resto do mundo", é que  não tem intelecto suficiente pra contemplar tanta perfeição. Tem um ego tão grande e uma auto-estima tão fragilizada, que é imprescindível acreditar nisso pra sobreviver, e ai de quem ousa contrariar!
Madre Tereza disse uma vez que as pessoas boas merecem nosso amor e as que não são boas, precisam dele. Infelizmente nem todos nós temos a paz de espírito dela. Eu não tenho. Para mim, gente ruim é tóxica e faz mal. Preciso de uma distância segura. (Tipo uns 500.000 km....)