quarta-feira, 28 de abril de 2010

segunda-feira, 26 de abril de 2010

NÃO ENTRE EM PÂNICO

-Sabe - disse Artur -, é em ocasiões como esta, em que estou preso numa câmara de descompressão de uma espaçonave vogon, com um sujeito de Betelguese, prestes a morrer asfixiado no espaço, que realmente lamento não ter escutado oque mamãe me dizia quando eu era garoto.
- Por quê? Oque ela dizia?
- Não sei. Eu nunca escutei.

Então vou, vou delirando...

...
Com o dia do acerto final
Pessoas alegres, vivendo
Com chances no seu carnaval

Os homens podem muito pouco
O tempo sempre sabe mais como agir
E mesmo assim se perde um pouco:
Um sorriso, um prazer, à meia-luz...

Mas eu, eu sigo latindo
Buscando um jeito de achar
Conforto, mas não só pros outros
Carinhos prá aliviar.

Os homens podem muito pouco
O tempo sempre sabe mais como agir
E a espera às vezes dura um pouco:
Um dia, um mês, um existir

Temos todos duas vidas: a verdadeira, que é a que sonhamos na infância; e a falsa, que é a que vivemos em convivência com os outros

sexta-feira, 23 de abril de 2010

"Exceto nas coisas intelectuais, onde cheguei a conclusões que tenho como firmes, mudo de opinião dez vezes por dia; só tenho juízo assentado a respeito de coisas em que não haja possibilidade de emoção."  Fernando Pessoa

quinta-feira, 22 de abril de 2010


" É preciso ir ao fundo do ser humano. Ele tem uma face linda e outra hedionda. O ser humano só se salvará se, ao passar a mão no rosto, reconhecer a própria hediondez "
Nelson Rodrigues

sábado, 17 de abril de 2010

A DANÇA

Não te amo como se fosse rosa de sal, topázio
ou flecha de cravos que propagam o fogo:
te amo secretamente, entre a sombra e a alma.
.
Te amo como a planta que não floresce e leva
dentro de si, oculta, a luz daquelas flores,
e graças a teu amor vive escuro em meu corpo
o apertado aroma que ascender da terra.
.
Te amo sem saber como, nem quando, nem onde,
te amo directamente sem problemas nem orgulho:
assim te amo porque não sei amar de outra maneira,
.
Se não assim deste modo em que não sou nem és
tão perto que a tua mão sobre meu peito é minha
tão perto que se fecham teus olhos com meu sonho.
 
Pablo Neruda

quinta-feira, 15 de abril de 2010

Racionalização, Identificação, Negação, Repressão, Projeção, Regressão, Sublimação, Formação Reativa, Deslocamento, Introjeção e Compensação.

Para Freud, o aparelho psíquico encontra-se bombardeado frequentemente por conflitos e situações que provocam ansiedade. Nosso psiquismo ameaçado, buscando afastar ou eliminar essa ansiedade, encontraria então meios de lidar com essa situação. Esses "meios" seriam então os Mecanismos de Defesa que surgem em pessoas saudáveis, mas que em excesso, são indicadores de sintomas neuróticos. 

RACIONALIZAÇÃO
A pessoa encontra respostas lógicas tentando assim afastar o sofrimento.

IDENTIFICAÇÃO
O indivíduo assimila alguma característica de outra pessoa, adotando-a como modelo.

REPRESSÃO
Ela afasta de nossa consciencia uma idéia ou evento que poderia causar ansiedade. Esse conteúdo reprimido no entanto, não é eliminado e continua no inconsciente. O resultado seriam algumas doenças psicossomáticas que poderiam estar vinculadas à essa repressão, tais como: asma, artrite, algumas fobias e frigidez.

NEGAÇÃO
Quando ocorre algo que nos incomoda profundamente, há a tendencia a não aceitar esse ocorrido, ou lembrá-lo de modo incorreto. Podemos fantasiar também o que houve na tentativa de distorcer e minimizar assim, o impacto do evento.

FORMAÇÃO REATIVA
Há uma inversão do desejo real que é ocultado. Uma pessoa por exemplo, extremamente rígida em relação à moral ou sexualidade, pode estar ocultando seu lado permissivo e imoral.
A pessoa justifica, explica e tenta de certa  maneira usar a lógica pra disfarçar os verdadeiros sentimentos. Aquilo que não é facilmente aceito, é "explicado" numa tentativa de tornar o indivíduo mais conformado diante de determinado fato.

PROJEÇÃO
Quando o indivíduo coloca no outro, sentimentos, desejos ou idéias que são dele próprio. Esse mecanismo ajudaria então a lidar de uma maneira mais fácil com esses sentimentos. A dificuldade em admitir determinadas 'falhas" em nossa personalidade seria projetada no outro.

REGRESSÃO
Quando a pessoa, vivendo uma difícil realidade, retorna à atitudes anteriores. O indivíduo busca uma situação ou comportamento mais infantil. A criança pode voltar a esse estágio quando nasce um irmãozinho, voltando à chupeta ou à mamadeira.

DESLOCAMENTO
Ao invés de agredir determinada pessoa (um chefe, por exemplo) a agressão é direcionada à um colega ou à um subalterno.

INTROJEÇÃO
O indivíduo toma para si características de outra pessoa. É comum ver adolescentes introjetarem características de seus "ídolos".

SUBLIMAÇÃO
O impulso é canalizado a outros interesses. A impossibilidade de ter filhos por exemplo, é sublimada pelo afeto à bichinhos de estimação; cachorros, gatos, etc…

Todos esses mecanismos atuam inconscientemente numa tentativa de amenizar a ansiedade e diminuir o conflito interno que a situação real poderia causar ou já estaria causando.


quarta-feira, 14 de abril de 2010

I'm over due for a certain type of affair...

lendo Freud e Gikovate para estruturar meus pensamentos e não fazer nada sem embasamento científico. Que Deus me ajude.

sexta-feira, 9 de abril de 2010

Do blog: "Sou para raio de doido"


Expressões para lembrar:
- relação-SEMI-prazerosa-COM-fins-destrutivos
- enlace-temporário-para-relações-prazerosas-sem-fins-reprodutivos

sexta-feira, 2 de abril de 2010

Porque programação é igual a sexo

 

  • Um erro de cálculo e você tem que proporcionar suporte pelo resto da vida.
  • Quando você começa só termina quando está exausto.
  • É preciso outra pessoa com a mesma experiência para dar valor ao que você faz.
  • Por incrível que pareça, tem gente que se orgulha em não saber como é.
  • Você pode fazer por prazer ou por dinheiro.
  • Se você passa mais tempo fazendo do que vendo TV, as pessoas acham que você é algum tipo de maníaco.
  • Não é um assunto apropriado para refeições em família.
  • Nas escolas públicas não ensinam as crianças a fazer direito, nem sequer explicam nada sobre o assunto.
  • Se você tenta explicar em termos clínicos, não faz sentido algum.
  • Algumas pessoas nascem com o dom para fazer direitinho.
  • E algumas são péssimas e não percebem isso, mesmo que você tente convencê-las elas ainda acham que são ótimas.
  • Existem algumas pessoas esquisitas com práticas bizarras e técnicas com as quais ninguém se sente confortável.
  • Dá pra fazer uma rapidinha durante o almoço.
  • Todos agem como se fossem os primeiros a inventar uma nova técnica.
  • Todos que já fizeram ao menos uma vez sacaneiam os que nunca fizeram.
  • Iniciantes cometem erros e se enrolam, mas sempre acabam dando um jeitinho de chegar ao final.
  • Se ficar muito tempo sem fazer, você sente falta e parece que o negócio vai "subir pra cabeça".
  • Tem sempre alguém escrevendo livros sobre a "maneira certa" de fazer.
  • Não dá muito certo quando você está bêbado, mas você sempre tenta mesmo assim.
  • Ás vezes é mais divertido quando você usa "aparelhinhos e brinquedinhos" caros pra dar uma incrementada na coisa.
  • É muito mais rápido quando você faz sozinho.
  • Se você não toma muito cuidado, alguma coisa sempre acaba "pegando".
  • E depois que dá problema é chato, difícil, e muito embaraçoso resolver.

Três Porquinhos, contado por um engenheiro


Meu Filho, era uma vez três porquinhos ( P1, P2 e P3) e um Lobo Mau, por definição, LM, que vivia os atormentando.

P1 era sabido e fazia Engenharia Elétrica e já era formado em Engenharia Civil.

P2 era arquiteto e vivia em fúteis devaneios estéticos absolutamente desprovidos de cálculos rigorosos.

P3 fazia Comunicação e Expressão Visual na ECA.

LM, na Escala Oficial da ABNT, para medição da Maldade (EOMM) era Mau nível 8,75 (arredondando a partir da 3ª casa decimal para cima). LM também era um mega investidor imobiliário sem escrúpulos e cobiçava a propriedade que pertencia aos Pn (onde n é um número natural e varia entre 1 e 3), visto que o terreno era de boa conformidade geológica e configuração topográfica, localizado próximo a Granja Viana.

Mas nesse promissor perímetro, P1 construiu uma casa de tijolos, sensata e logicamente planejada, toda protegida e com mecanismos automáticos.

P2 montou uma casa de blocos articulados feitos de mogno que mais parecia um castelo lego tresloucado.

Enquanto P3 planejou no Autocad e montou, ele mesmo, com barbantes e isopor como fundamentos, uma cabana de palha com teto solar, e achava aquilo "o máximo".

Um dia, LM foi ate a propriedade dos suínos e disse, encontrando P3:

— Uahahhahaha, corra, P3, porque vou gritar, e vou gritar e chamar o Conselho de Engenharia Civil para denunciar sua casa de palha projetada por um ormando em Comunicação e Expressão Visual!

Ao que P3 correu para sua amada cabana, mas quando chegou lá os fiscais do conselho já haviam posto tudo abaixo. Então P3 correu para a casa de P2.

Mas quando chegou lá, encontrou LM à porta, batendo com força e gritando:

— Abra essa porta, P2, ou vou gritar, gritar e gritar e chamar o Greenpeace, para denunciar que você usou madeira nobre de áreas não-reflorestadas e areia de praia para misturar no cimento.

Antes que P2 alcançasse a porta, esta foi posta a baixo por uma multidão insandecida de eco-chatos que invadiram o ambiente, vandalizaram tudo e ocuparam os destroços, pixando e entoando palavras de ordem.

Ao que segue P3 e P2 correm para a casa de P1. Quando chegaram na casa de P1, este os recebe, e os dois caem ofegantes na sala de entrada.

P1: — O que houve?

P2: — LM, lobo mau por definição, nível 8.75, destruiu nossas casas e desapropriou os terrenos.

P3: — Não temos para onde ir. E agora, que eu farei? Sou apenas um formando em Comunicação e Expressão Visual!

Tum-tum-tum-tum-tuuummm!!!! (— isto é somente uma simulação de batidas à porta, meu filho! o som correto não é esse.)

LM: — P1, abra essa porta e assine este contrato de transferência de posse de imóvel, ou eu vou gritar e gritar e chamar os fiscais do Conselho de Engenharia em cima de você, e, se for preciso, até aquele tal de Confea!

Como P1 não abria (apesar da insistência covarde do porco arquiteto e a… do… comunicador e expressivo visual?), LM chamou os fiscais, e estes fizeram testes de robustez do projeto, inspeções sanitárias, projeções geomorfológicas, exames de agentes físico-estressores, cálculos com muitas integrais, matrizes, e geometria analítica avançada, e nada acharam de errado. Então LM gritou e gritou pela segunda vez, e veio o Greenpeace, mas todo o projeto e implementação da casa de P1 eram ecologicamente corretos.

Cansado e esbaforido, o vilão lupino resolveu agir de forma irracional porém super-comum nos contos de fada: Ele pessoalmente escalou a casa de P1 pela parede, subiu ate a chaminé e resolveu entrar por esta, para invadir.

Mas quando ele pulou para dentro da chaminé, um dispositivo mecatrônico instalado por P1 captou sua presença por um sensor térmico e ativou uma catapulta que impulsionou — com uma força de 33300 N (Newtons) — LM para cima.

Este subiu aos céus, numa trajetória parabólica estreita, alcançando o ápice, onde sua velocidade chegou a zero, a 200 metros do chão.

Agora, meu filho, antes que você pegue num repousar gostoso e o Papai te cubra com este edredom macio e quente, admitindo que a gravidade vale 9,8m/s2 e que um lobo adulto médio pese 60 kg, calcule:

  1. o deslocamento no eixo "x", tomando como referencial a chaminé;
  2. a velocidade de queda de LM quando este tocou o chão e;
  3. o susto que o Lobo Mau tomou, num gráfico lógico que varia do 0 (repouso) ao 9 (ataque histérico).